domingo, 27 de setembro de 2009

No tabuleiro de jogo...

É proposta uma brincadeira;

Um jogo simples chamado “quase”.

Nele vejo-nos como dois jogadores em um tabuleiro...

Somos eu, gato, e tu, rato.

Quando eu quase te tenho,

perco-te.

Quando eu quase te perco,

tenho-te.

Vejo-te chegando na casa seguinte, a casa dos papéis. Finalmente, alcanço-te...

Tu, agora, gato e eu rato.

Quando quase me tens,

me perdes.

Quando quase me perdes,

me tens.

Próxima casa, a casa do futuro, tu me alcanças

e ainda continuamos nesse jogo de perseguição sem previsão de terminar.

Quando quase nos temos,

perdemo-nos.

Quando quase perdemo-nos,

temo-nos.

4 comentários:

Jacarée disse...

Belo post.
Na brincadeira do gato e rato, alguém é apanhado.

quarentão disse...

SE O FUTURO É UM JOGO.
VOU CORRER ESTE RISCO.
POIS ACREDITO NO TABULEIRO DE JOGOS.
ESTETEXTOFOI ESCRITO QUASEQUE PARA MIM ADOREI!!!

Eduardo Duh disse...

Complicado esse jogo onde nunca conseguimos ter o que queremos...

Leo M. disse...

Realmente temos sempre que perseguir o que queremos. Algumas vezes conseguimos, outra não. Mas a constante busca é inevitável! Obrigado pelo comentário, Duh. ;)