terça-feira, 17 de novembro de 2009

Momentos de mim...

Há momentos que sinto frio e
um pouco de solidão.

Há momentos que sinto calor e
um pouco de alegria.

Há momentos que sinto claridade e
um pingo de sol acariciando meu rosto.

Há momentos que sinto escuridão e
vejo-me de mãos dadas com a noite.

Há momentos que sinto frio e quente como
o gelo quando queima.

Há momentos que sinto claro e escuro como
uma criança eufórica que se tranca num quarto escuro.

Sinto-me divido entre claro e escuro, quente e frio

como uma criança que, com toda a sua ingenuidade, sai de mãos dadas com a noite,
[solta-se para agarrar uma flor e fura-se na brotuberância de uma rosa.


Há momentos que flutuo ao som do vento para nadar num mar de dicotomias que me
[dão um nó no maremoto de irrequietas sensações.

Há momentos que
mergulho nas frias ondas das loucas idéias e

há momentos que me aqueço

no inenarrável calor de puras emoções.

7 comentários:

Ana I. Z. disse...

posso analisar? heheeheheh

Leo M. disse...

Hahahahahaha... Deves. Essa é intenção. Todos tem espaço aberto! ;)~

Everton Merlin disse...

Esses momentos, sejam qual forem, são os melhores, os mais intenso e os que jamais esqueceremos.

momentos podem ser apenas fragmentos de nossas vidas, mas apenas para aqueles que não enchergam a verdadeira beleza deles.

Curti pra caramba!!

Parabéns!

Everton Merlin disse...

Esses momentos... sempre breves, porém intensos, inesquecíveis e por vezes surreais.

Para muitos apenas fragmentos de toda uma vida, para aqueles de olhar sensível, momentos que quem viveu jamais esquecerá.

Leo M. disse...

Com certeza, Everton. Esses fragmentos momentâneos são realmente inesquecíveis. Pode acontecer um flash d memória d algum episódio q aconteceu rapidamente ou d algo q durou um pouco mais, mas q sempre estará guardado com muito carinho dentro da memória. Obrigado pelo post. ;)

Ana I. Z. disse...

E são nesses momentos que nos sentimos vivos... são essas as ideias essenciais para nos dizer que somos normais, e que nos permitimos ser o que quisermos ser. Sempre ouço nas aulas que isso é saúde, essa flexibilidade de pensamentos, essa infinidade de sentimentos que mudam a qualquer instante. é tão bom poder experimentar isso tudo... é tão bom saber que estamos vivos!

Leo M. disse...

Ana, o que seria d nós se não fosse o pensamento? Não poderíamos nos transportar para lugar nenhum, não poderíamos pensar em algumas pessoas, não teríamos chance nem mesmo de pensar em falar coisas que não poderiam ser ditas. Graças ao pensamento, somos capazes de viver, muitas vezes, em um mundo paralelo... Ou seja, um mundo o qual podemos ser quem somos, um mundo "perfeito". Por isso o pensamento é vida tbm. ;) Obrigado pelo comentário.