quarta-feira, 23 de março de 2011

O mundo do Porque.

Era uma vez, um menino muito curioso que queria saber de tudo. Perguntava tudo a todos. Seu nome era Porque.

Um belo dia, Porque estava passeando pela rua e reparou que algo lhe seguia. Não contente de tentar desviar desse algo e ver que isso imitava todos os seus movimentos, ele decidiu indagar:

- O que és tu?

- Sou a Sombra.

- Por que me segues?

- Sigo-te, pois sou o reflexo do sol em teu corpo.

O garoto pensou um pouco, refletiu sobre a resposta e viu que fazia sentido. Ele continuou, então, com a Sombra pelo caminho que ia para chegar a casa de uma grande amiga. Durante o percurso, ele é parado pela Paixão.

- Quem és tu?

- Sou a Paixão.

- Qual é o motivo por teres me parado?

- Estou apaixonada por ti.

- Sou criança. Tu já és mais velha.

- Eu sei, mas estou apaixonada por ti.

- O que exatamente és tu?

- Sou um sentimento que faz as pessoas gostarem umas das outras. Posso ser efêmera ou posso durar algum tempo; depende da intensidade com que elas gostam umas das outras.

- Desculpa, já me apaixonei por outra pessoa.

O menino Porque achou a Paixão muito volúvel.

Ele continuou seguindo pelo caminho por onde estava indo. Ia de cabeça baixa pensando na pergunta que fizera à Paixão. De repente, depara-se com alguém chorando.

- Olá.

A pessoa responde ‘oi’ em pranto.

- Quem és tu? – pergunta o menino com ares de dó.

Ainda chorando vem a resposta com muito soluços.

- Sou a Solidão.

- Por que choras?

- Sinto-me muito sozinha.

- Por que te sentes sozinha?

- Porque ninguém para para conversar comigo!

O garoto, achando tudo aquilo estranho, continuou a conversa.

- Sabes o que é intensidade?

A Solidão chorou mais ainda e saiu correndo.

Mais uma vez o garoto saiu caminhando pela rua sem entender o porquê da atitude da Solidão.

Sua jornada continuou...

Após alguns passos, ele encontrou outra pessoa.

- Quem és tu?

- Sou o Amor.

- O que és tu?

- Sou um sentimento assim como a paixão, mas não sou efêmero.

- Tu podes responder uma pergunta?

- Sim, posso.

- O que é intensidade?

- Intensidade é o valor de um sentimento. Uns amam muito, isso significa maior intensidade. Já outros amam com menos intensidade, ou seja, amam, mas não demonstram esse sentimento.

- Queres seguir comigo até a casa de uma pessoa?

O amor aceitou o convite do menino e saíram os dois pela rua.

Chegando na rua da tal amiga o Amor pergunta ao menino:

- Sua amiga, por acaso, é a Vingança?

O menino respondeu afirmativamente com a cabeça.

O Amor, então, suspirou e disse-lhe que não iria prosseguir com ele. O menino Porque, no entanto, não satisfeito, indagou a ele o porquê não iria prosseguir.

- Não irei, porque ela jurou-me de morte. Fôramos namorados no passado e, como eu já não sentia mais paixão, só um sentimento de amizade, ela disse-me que não queria mais me ver e, se me visse, iria se vingar. Desde então, evito seriamente de passar em sua rua e também de bater à sua porta. E, além disso, aconselho que te afastes dela, ela é mais volúvel do que a Paixão e mais sozinha do que a Solidão.

O garoto ficou espantado com a declaração do Amor e decidiu se afastar da Vingança. Desde então, o Amor e o Porque andam juntos pelas ruas da vida.

4 comentários:

Matheus Bandeira de Carvalho disse...

Lindo. Poético. Triste. Verdadeiro. Mais uma vez, Parabéns!

.Schuck disse...

Bah, nem tenho o que comentar... me deixou sem palavras.

Leo M. disse...

Fico muito feliz quando vocês lêem os meus textos e mais ainda quando vocês comentam. Obrigadão! \o/

Flávio C. disse...

Nossa, muito bonito o que você escreveu, sem palavras mesmo. Continue assim... :D

Abraço